Por que usar um drive

Drives Chart

Os acionadores são selecionados de acordo com o movimento necessário. A primeira pergunta a ser respondida antes de selecionar o controlador é se a aplicação é de fuso (movimento constante) ou de movimento incremental. Em seguida, é importante definir o movimento feito pelo motor.

  • Ponto a ponto
  • Ponto a ponto seguindo uma trajetória
  • Ponto a ponto seguindo um perfil de velocidade

Para fazer o movimento, é necessário definir o torque e a velocidade que o motor terá que fornecer e, consequentemente, a corrente e a tensão necessárias ao controlador. O motor pode ser acionado com a simples aplicação de tensão à bobina (controlador de tensão) ou a corrente pode ser controlada na bobina (controlador de corrente). Via de regra, o controlador de tensão é usado em aplicações simples, principalmente aquelas com um único ponto de trabalho. A fonte de corrente permite controlar o torque fornecido pelo motor. A corrente pode ser controlada por um amplificador linear ou, como é feito atualmente na maioria dos controladores, por modulação de largura de pulso (PMW) para regular a corrente.

Acionadores para motores CC com e sem escovas
Uma maneira simples de controlar um motor CC em velocidade constante é usar compensação de RI. (A equipe da Portescap pode ajudá-lo a projetar esses drives.) Para aplicações mais complexas, a Portescap desenvolveu um drive de motores CC com e sem escovas que pode fornecer até 12 A de pico e operar com até 48 V. Esses drives podem receber dados transmitidos por RS232 ou CANopen. O feedback necessário consiste em sinais de encoder e sensores de efeito Hall para a comutação do motor CC sem escovas. Esse drive pode ser operado em modo de corrente, velocidade ou posição.

Drivers para motores de passo
Existem muitas maneiras de controlar motores de passo. Um drive de motor de passo geralmente requer entrada na forma de direção e pulsos. Para cada pulso, o drive gera corrente em cada fase do motor para mover o rotor em um passo ou micropasso. Dependendo do drive, o motor pode ser movido um passo inteiro, meio passo ou em micropassos (de acordo com a corrente aplicada em cada fase). Os drives simples não usam regulação de corrente na bobina; eles são equivalentes aos controladores de tensão e nós os chamamos de "tipo L/R". Com esses drives, pode ser vantajoso adicionar uma resistência para reduzir a constante temporal elétrica. Drives mais complexos usam corrente regulada em cada bobina por PWM. Com a corrente ajustada em cada bobina, o motor pode ser movido em micropassos. Atualmente, outra maneira de controlar um motor de passo é usar um servomotor. Isso proporciona todas as vantagens do motor de passo e do servomotor. (A equipe da Portescap terá imenso prazer em ajudá-lo se você estiver interessado em testar essa opção.)

DETALHES DO DRIVE

Drive Motores Características Vantagens
LVD CC ou CC sem escovas Corrente de pico 12 A
Tensão de pico 48 V
Comunicação por:
RS232 , CANopen, entrada analógica
Facilidade de controle de motores CC com e sem escovas
Pequenas dimensões
E/S padrão
EDM 453 Motores de passo e atuadores lineares digitais (DLA) Corrente de pico 3 A
Tensão de pico 45 V
Número de micropassos:
1, 2, 4, 8, 16, 32, 64
PWM 35 Khz
Facilidade de controle de motores de passo
Facilidade de seleção de corrente e número de passos
Capacidade de sobrealimentação/modo de decaimento rápido e lento
Pequenas dimensões
Design robusto
Torque dinâmico disponível com motores PCAP
Proteção contra curto-circuito

INFORMAÇÕES ADICIONAIS

Custom Design Drivers
Controladores com projeto personalizado